sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

um reencontro


"Inútil querer me classificar, eu simplesmente escapulo não deixando. Gênero não me pega mais."

Disse isso nossa admirável Clarice Lispector.
Mas bem poderia ter sido criada e dito por Vanelly Padovani Baptista.
Essa menina, de olhos coloridos, bicolores, um olho super marrom e outro verde.
Ela. Ela. Ela.
Ela surgiu na minha vida quando eu era uma adolescente querendo ser cada dia mais doida...
Ela entrou de um jeito íntimo e manso. Daqueles íntimos que voce fica desconcertada e acredita piamente que já conhecia aquela pessoa. De uma leveza e honestidade assustadoras. Construimos o início de nossa amizade.

Ela sumiu. Voltou a ser a "garota de Bauru". Foi construir sua vida. Nos perdemos.
Mas um dia, sem querer eu a reencontrei. De imediato a peguei, guardei dentro de mim, bem escondidinha pra ela nunca mais se perder de mim.

Nos falamos como se estivéssemos nos falado ontem. O ontem tinha sido há 12 anos!
Demos risadas, vimos se estamos muito embarangadas, contamos nossas dores e alegrias.
Hoje somos íntimas, próximas, grudadas, siamesas.
Ela, a Vanelly, me ensinou e comprovou o tal do amor incondicional que eu, ingenuamente - supunha existir somente com filhos.
Mas não é que essa menina de olhos coloridos me mostrou e provou que não?!

Melhor pra nós....

E pra comemorar, sem perder a ternura jamais, vamos beber muita cerveja!!!! quer vir???

Um comentário:

Vanelly disse...

Sua Bandida !!! E você não me disse nada desse post novo no seu blog. Nosso reencontro foi ótimo. E a sensação é essa mesma, parece que foi ontem que nos vimos, tamanha a afinidade. Obrigada pela abordagem carinhosa. Bjos Van